Sal de ervas, ajudando a diminuir o sódio


Uma boa forma de auxiliar no controle diário de sódio é substituir o sal comum que você usa para temperar a comida pelo sal de ervas, que você mesmo pode fazer em casa. Ele é saboroso, saudável e nutritivo.


O sódio é um elemento mineral que, somado ao cloro, forma o cloreto de sódio, o qual comumente chamamos de sal. A presença desse elemento no nosso organismo é muito importante, pois ele retem a água, contribuindo para o equilíbrio aquoso e ácido básico do organismo. Além disso, o sódio também atua na contração muscular, impulsos nervosos, ritmo cardíaco, entre outras funções.

O sódio possui uma elevada taxa de absorção, sendo que quase todo o sódio que ingerimos passa para o sangue, ficando a cargo dos rins eliminar os excessos desse mineral do nosso corpo. O consumo excessivo de sódio estimula a liberação de alguns hormônios que causam a retenção de líquidos e aumento da pressão arterial, sobrecarregando o coração. Além disso, o consumo excessivo de sódio provoca a perda de cálcio pela urina, já que são os rins os responsáveis pela filtração de sódio no sangue.

Devido a isso e em conjunto com outros hábitos alimentares não saudáveis, bem como o sedentarismo e o estresse, o excesso de sódio tornou-se um dos principais e mais preocupantes fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis relacionadas à alimentação, como a hipertensão e a osteoporose; além de ser apontado como um dos principais causadores do AVC (acidente vascular cerebral), da hipertrofia ventricular esquerda, do infarto e da insuficiência renal.

O sal é um dos conservantes mais antigos e o primeiro tempero que o mundo conheceu. É amplamente utilizado na fabricação de alimentos ultraprocessados, pois impede o desenvolvimento de microorganismos que deterioram os alimentos. Desta forma, o sódio está presente em altas concentrações em uma enorme quantidade de produtos que consumimos diariamente, como queijos, carnes curadas, linguiças, salsichas, biscoitos, refrigerantes, enlatados… a lista é gigantesca! E além do sódio contido no próprio sal, muitas vezes os fabricantes adicionam aditivos em forma de alginato ou benzoato de sódio, aumentando ainda mais a concentração do mineral nos seus produtos.



O sal de ervas é composto por: alecrim, que é estimulante, bom para a memória, coração e nervos, além de ajudar a combater o estresse e a ansiedade; manjericão, que ajuda a proteger os cromossomos da radiação e dos efeitos dos radicais livres, é rico em magnésio, ferro, cálcio, potássio e vitamina C, melhora o funcionamento cardiovascular, é anti-inflamatório, estimulante, digestivo, calmante, previne problemas digestivos e infecções intestinais; e orégano, que tem ação antioxidante devido ao ácido fenólico e flavonoides, possui propriedades antimicrobianas, o que também ajuda a preservar os alimentos, é estimulante das funções gástricas e biliares, sedativo, parasiticida, expectorante, diurético, alivia dores reumáticas, estimula o sistema nervoso e o apetite.



Arenda a fazer o seu próprio SAL DE ERVAS, É bem simples! Você vai precisar de:

1 colher de sopa de alecrim desidratado;

1 colher de sopa de salsinha desidratada;

1 colher de sopa de manjericão desidratado;

1 colher de sopa de orégano;

1 colher de sopa de sal marinho ou sal light;

Bata bem todos os ingredientes em um liquidificador, depois armazene em um recipiente de vidro com tampa e pronto! Está pronto para usar. Outro ingrediente que você também pode usar no seu sal de ervas é a sálvia, que tem efeito digestivo e diurético.

O prazo de validade do sal de ervas é de três semanas e você pode substituí-lo pelo sal comum em todas as receitas, utilizando a mesma medida.


Fontes bibliográficas:
http://www.dermus.com.br/
http://www.tudogostoso.com.br/