O coco no nosso dia a dia

O coqueiro (Cocos nucífera), é um membro da família Arecaceae (família das palmeiras). É a única espécie classificada no gênero Cocos.

É uma planta que pode crescer até 30 m de altura, com folhas pinadas de 4–6 m de comprimento, com pinas de 60–90 cm. As folhas caem completamente, deixando o tronco liso.
As origens desta planta são passíveis de discussão. Enquanto algumas autoridades reclamam o Sudeste Asiático (região peninsular) como o seu local de origem, outros colocam a sua origem no nordeste da América do Sul. Registros fósseis da Nova Zelândia indicam aí a existência de pequenas plantas similares ao coqueiro de mais de 15 milhões de anos.
Fósseis ainda mais antigos foram também descobertos no Rajastão, na Índia.
Qualquer que fosse a sua origem, os cocos espalharam-se através dos trópicos, em particular ao longo da linha costeira tropical.

Como o seu fruto é pouco denso e flutua, a planta é espalhada prontamente pelas correntes marinhas que podem carregar os cocos a distâncias significativas. A palmeira do coco prospera em solos arenosos e salinos nas áreas com luz solar abundante e pancadas de chuva regular (75–100 cm anualmente), o que torna a colonização da costa relativamente fácil.
Já foram encontrados cocos transportados pelo mar tão ao norte como na Noruega em estado viável, que germinaram subsequentemente em circunstâncias apropriadas. Entretanto, nas ilhas do Havaí, o coco é considerado como introdução, trazida primeiramente às ilhas há muito tempo por viajantes polinésios de sua terra natal no Sul do Pacífico.
Todas as partes do coco, salvo talvez as raízes, são úteis e as árvores têm comparativamente um alto rendimento (até 75 cocos por ano); ele então possui significativo valor econômico. De fato em Sânscrito o nome para o coqueiro é kalpa vriksha, o qual se traduz como "a árvore que fornece todas as necessidades da vida". Os usos das várias peças da palma incluem:
O branco, parte gorda da semente, é comestível (fresco) e usado (seco e dissecado) em culinária;

A cavidade é cheia de "água de coco" que contém os açúcares que são usados como uma bebida refrescante, e na composição da sobremesa gelatinosa nata de coco;
Leite de coco (que tem aproximadamente 17% de gordura) é feito processando o coco ralado com água quente que extrai o óleo e os compostos aromáticos;
O líquido obtido da incisão da base das inflorescências do coqueiro forma uma bebida conhecida em inglês por "toddy", nas Filipinas chamada tuba e em Moçambique, sura;
Os botões da ponta de plantas adultas são comestíveis e são conhecidos como "cabaço de coco" (embora a colheita desta mate a árvore);
O interior da ponta crescente é chamado coração-da-palma ou "palmito" e comido em saladas, chamadas às vezes "salada do milionário" (isto também mata a árvore);
Copra é a carne seca da semente, usada para preparar o óleo do coco;
O resíduo que fica depois de preparar o óleo é usado como ração para animais;
O tronco fornece madeira para construção;
As folhas fornecem materiais para cestas e palha de telhado;

A casca e a fibra do coco podem ser usados para combustível e são uma fonte boa do carvão de lenha;
Servem ainda em artesanato no fabrico de joias, utensílios domésticos, objetos decorativos entre outros;
Nos teatros, usavam-se metades de casca de coco que, batidas, davam o som de cascos de cavalo;
A fibra pode ainda ser usada para o fabrico de cordas e tapetes, para enchimento de estofos e para o cultivo de orquídeas e outras plantas;
Havaianos usam o tronco oco para dar forma a um cilindro, que pode servir como recipiente, ou mesmo canoas pequenas.
A água do coco tem componentes presentes no plasma do sangue e é conhecida por ter sido usada como um líquido endovenoso de hidratação no passado quando havia uma falta de líquido próprio para transfusão de sangue. A água do coco tem teores elevados de potássio, cloreto e cálcio, porém sua osmolaridade média é de cerca de 500mOsm, contra 300mOsm do plasma sanguíneo. Já foi indicada em situações emergenciais em que se pretendia o aumento destes eletrólitos , porém, sabe-se hoje que seu uso endovenoso deve ser proscrito visto que além de haver diferença nas osmolaridades, os antígenos ali presentes podem desencadear choque por anafilaxia ou hemólise autoimune.


As gorduras saturadas do óleo de coco tem muitas propriedades medicinais: A razão pela qual o coco tem sido tão criticado por aqueles preocupados com a boa saúde é que quase todos os seus ácidos graxos são gorduras saturadas que agora as pessoas ligam com níveis elevados de colesterol e doenças cardíacas. No entanto, esse mito tem sido amplamente desbancado e muitos estudos em larga escala ter sido feito para refutar a ideia de que as gorduras saturadas entopem as artérias e levam a problemas cardíacos. Foi descoberto que os ácidos graxos nos quais o coco é tão rico vão direto para o fígado a partir do trato digestivo e lá são usados como fonte de energia rápida ou transformado em compostos chamados corpos cetônicos, que pode ter um efeito terapêutico em distúrbios cerebrais, como a epilepsia ou a doença de Alzheimer.
Dietas à base de coco estão entre as mais saudáveis ​​do mundo: Enquanto o coco ainda é considerado uma espécie de alimento exótico nos Estados Unidos, há muitas culturas onde o coco é um produto básico em suas dietas — o equivalente ao trigo ou milho nos EUA. E essas culturas têm prosperado com esta dieta por muitas gerações. O melhor exemplo disso são os Tokelauanos, uma pequena população no Pacífico Sul, que consome uma dieta que é de 60% à base de coco e praticam uma culinária com uma das maiores concentrações de gordura saturada no mundo. Mas mesmo assim eles estão em excelente saúde e não mostram nenhuma evidência de doença cardíaca.
O óleo de coco aumenta a energia e a queima de gordura: Muitas pessoas que estão lutando para chegar a um peso ideal vão descobrir que o coco podem realmente ajudá-las em sua busca. Os triglicerídeos de cadeia média (TCM) no óleo de coco podem aumentar o gasto de energia, às vezes por até 5%, ou o equivalente a 120 calorias por dia. Este gasto extra pode ser uma poderosa ajuda para perda de peso.
O coco tem propriedades antimicrobianas: Uma substância chamada ácido láurico constitui cerca de 50% dos ácidos graxos encontrados no óleo de coco e, quando digeridos, forma um mono glicérido chamado mono laurina; estas duas substâncias foram demostradas que matam agentes patogênicos prejudiciais no corpo, incluindo bactérias, vírus e fungos. Isto inclui as bactérias perigosas como Staphylcoccus aureus e Candida albicans, as quais são responsáveis por infecções fúngicas.
O óleo de coco é um supressor natural do apetite: Outra razão que o coco pode levar à uma dieta saudável é que ele naturalmente suprime o apetite, podendo levar à redução geral do total de calorias ingeridas. Um estudo mostrou que quando diferentes quantidades do coco rico em TCM foram ingeridas por homens, os que recebem mais, comeram em média, 256 calorias a menos por dia. Se acredita que isto é por causa dos corpos cetônicos formados quando o coco é digerido, os quais tem sido indicados que reduzem a fome naturalmente.

Coco no dia a dia
Por sua versatilidade o coco serve para uma variedade de propósitos na cozinha, do café da manhã ao jantar, em lanches caprichados ou em dias de festa, em pratos salgados ou doces. O coco definitivamente é muito fácil de usar e deve ter um lugar em seu cardápio diário. Cozinhe com óleo de coco para deixar seus alimentos mais saudáveis. O leite de coco pode substituir o leite e o creme de leite nas receitas, deixando o prato mais leve. Arroz doce com leite de coco é uma variação muito interessante. Pães, biscoitos e bolos preparados com o leite, o óleo e a farinha de coco ficam com um sabor delicioso e muito macios. Experimente também em suflês e mousses. Troque sucos calóricos e açucarados por água de coco, e não dispense a polpa verde. Na hora do lanche coma um bom pedaço de coco maduro. Sua saúde agradece!


Fontes bibliográficas:
http://www.minhavida.com.br/
http://www.maisequilibrio.com.br/
http://belezaesaude.com/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Coqueiro#Fruto