Aprendendo a Respirar




Para viver, precisamos de alguns itens de sobrevivência, como água, comida, roupas… Mas antes de tudo, precisamos de ar (ou oxigênio!) para nos mantermos vivos. Podemos ficar alguns dias sem água e comida, mas sem oxigênio a gente não “passa” de alguns minutos.


Para que a respiração aconteça, fazemos dois movimentos básicos: inspirar (fazer o ar entrar pelo nariz – ou boca – até chegar aos pulmões) e expirar (fazer o ar sair pelo nariz ou pela boca). Ou seja, o ar que entra renova o ar que estava dentro dos pulmões, promove a respiração celular, fazendo com que as impurezas saiam em seguida. Não vamos entrar nos pormenores da função de outros órgãos envolvidos no processo porque nossa intenção aqui é dizer por que é importante respirar de forma consciente.

Para reaprender a respirar corretamente, podemos realizar exercícios de reeducação respiratória, que se incorporados ao nosso cotidiano, nos garantem mais qualidade de vida. Para começar, conscientize-se de como você respira, se é pelo abdômen ou pela parte alta dos pulmões. Estima-se que a maior parte da população utiliza 10% da capacidade pulmonar. Entretanto, respirar de forma correta consiste em utilizar toda a plenitude pulmonar, parte baixa, média e superior. Entenda melhor:

Inspire expandindo o abdômen, depois afaste as costelas e por último leve o tórax para o alto.
Ao exalar, esvazie primeiro a parte superior dos pulmões. Logo em seguida, aproxime as costelas e finalmente contraia a barriga.
Se tiver dificuldade no início, pode utilizar a respiração baixa que compreende 60% da totalidade dos pulmões. Consiste em ao inspirar descontrair o abdômen e ao expirar contraí-lo.



Existem várias técnicas que podem ajudar a praticar uma respiração mais adequada, atenta e controlada.

Essa respiração pode ser diafragmática, torácica, pela boca, pelo nariz, formas que envolvem diferentes músculos e vias, porém todas cumprindo o mesmo papel fisiológico: oxigenar as células e eliminar o gás carbônico.

A principal respiração é a nasal, que melhora a qualidade do ar filtrando e aquecendo ele antes de chegar até os pulmões.

Treinar a prática da respiração com a inspiração (entrada de ar) e expiração (saída de ar) prestando atenção no ritmo e no controle é um exercício que exige calma e paciência, mas que melhora bastante a qualidade de vida.



Inspirar profundamente expandindo as costelas para os lados e fazendo força na parte inferior. Expandir contraído o músculo soltando o ar a partir debaixo, contraindo o abdômen e afundando o umbigo.

A gente nasce sabendo respirar corretamente. Se você já viu como um bebê respira enquanto dorme, sabe que ele enche a barriguinha de ar na inspiração e a esvazia quando solta o ar. Nós, quando dormimos, fazemos a mesma coisa. Esse é o princípio da respiração abdominal, e o movimento acontece com a ajuda do diafragma, o músculo que controla nossa respiração.

O grande trunfo é usar o diafragma corretamente para encher nosso abdômen de ar, e soltar o ar de forma controlada para obter o efeito desejado, seja bem-estar e tranquilidade, seja atenção e energia. A respiração na região do peito não pode ser controlada pelo diafragma e por isso não traz benefícios. Quando o diafragma controla a entrada e saída de ar, pode ser que você sinta o peito se expandir, mas isso é só uma consequência do movimento, não o início dele.



Depois de assimilar a respiração ampla e consciente, podemos explorar outros aspectos mais profundos. Lembre-se: A forma pela qual respiramos está diretamente relacionada a maneira que interagimos com o mundo ao nosso redor. A respiração ampla e lenta está ligada a estados de felicidade, plenitude e realização pessoal. Por outro lado, se é caótica e curta, está correlacionada a estados de tensão e ansiedade.



Fontes biblliográficas:
http://www.produtividadeninja.com/
http://saudesporte.com.br/
www.personare.com.br