Gergelim, sementes que fazem bem.

O gergelim (português brasileiro) ou sésamo (português europeu) (Sesamum indicum), é uma planta anual herbácea, gamopétala, originária do Oriente, pertencente à família das pedaliáceas, com propriedades medicinais, de flores alvas, róseas ou vermelhas, hermafroditas, malcheirosas, dispostas nas axilas das folhas, e cujo fruto é cápsula oblonga, pubescente, com sementes oleaginosas, pequenas, amarelas, alvas ou pretas, arredondadas e levemente comprimidas.


É cultivada na Ásia tropical por causa de suas sementes, que fornecem até 50% de óleo (ou azeite) confeccionado de sementes cruas e aquele de sementes previamente torradas resultam em dois produtos distintos, sendo o último mais utilizado como condimento em pratos orientais.



As sementes de gergelim são ricas em manganês, cobre e cálcio (90 mg de cálcio por colher de sopa para sementes integrais (não descascadas) e 10 mg para sementes descascadas), e contém vitamina B1 e vitamina E. Elas contêm um poderoso antioxidante, que também é anticancerígeno.[carece de fontes] Elas também contêm fitoesterois, que bloqueiam a produção de colesterol. Os nutrientes do gergelim são melhores absorvidos se triturados antes do consumo.

Gergelim provém do árabe vulgar gilgilan, do árabe clássico ģulģulãn, significando "grão de coentro"

As sementes de gergelim contêm uma grande variedade de princípios nutritivos de grande valor: lípidos (ou gorduras), mais ou menos 52%, praticamente todos eles constituídos por ácidos graxos insaturados, o que lhes confere uma grande eficácia na redução do nível de colesterol no sangue. Entre as gorduras, encontra-se a lecitina, que desempenha um papel importante no nosso organismo. E componente essencial do tecido nervoso, também se encontra no sangue, no sêmen e na bílis e intervém na função das glândulas sexuais.

A lecitina é um poderoso emulsionante, que facilita a dissolução das gorduras em meio aquoso. Uma das suas funções no sangue consiste em manter dissolvidos os lípidos, especialmente o colesterol, evitando assim que se deposite nas paredes das artérias. O gergelim é, com a soja, o mais rico em lecitina.

É abundante em cálcio: em 100g de gergelim encontramos 417 mg , ou quatro vezes mais que leite e derivados
Proteínas (20 %) de alto valor biológico, formadas por 15 aminoácidos diferentes com elevada proporção de metionina (aminoácido essencial).
Vitaminas, especialmente a E (tocoferol), a B1 ou tiamina (0,1 mg por 100 g) e a B2 ou riboflavina (0,24 mg por 100 g).
Minerais e oligoelementos diversos especialmente cálcio, fósforo, ferro, magnésio, cobre e crómio.
Mucilagens, ao que deve sua ação laxante suave.

A espécie preta é mais forte e é usada no preparo do gersal (gergelim e sal), um dos temperos básicos da cozinha macrobiótica. A semente clara depois de tostada e moída dá origem a uma farinha que se transforma em uma pasta conhecida como tahine.



Os benefícios do gergelim estão especialmente relacionados com a rua riqueza em fibras que ajuda a melhorar o funcionamento intestinal e a reduzir a quantidade de colesterol, podendo ser adicionado nas refeições como saladas e sopas, para tratar prisaõ de ventre ou colesterol alto, por exemplo.

No entanto, os benefícios do gergelim vão além disso, pois ele é capaz de:

1- Pressão sob controle
Estudos mostram que o consumo de gergelim reduz a hipertensão e previne doenças cardíacas em geral. O magnésio presente nas sementes é um famoso aliado dos hipertensos e apenas uma mão cheia de sementes oferece 25% do magnésio necessário em um dia.
Um estudo publicado no Jornal de Medicina Biológica de Yale em 2006 mostrou que trocar outros óleos por óleo de gergelim diminui e pressão arterial diastólica e sistólica, além de diminuir a peroxidação lipídica (ranço corporal).
2- Ajuda na prevenção do câncer
Um dos minerais que mais previne o câncer é o magnésio, que, como falamos antes, o gergelim está cheio. Um estudo publicado no Jornal Americano de Nutrição Clínica mostra que o risco de tumores colorretais diminui 13% e o risco de câncer colorretais diminui 12% a cada 100 mg magnésio consumido.
Para completar, gergelim tem uma lenhina solúvel conhecida como sesamina, que tem sido objeto de muitos estudos e se mostrado eficiente na inibição de células cancerígenas como a da leucemia, câncer de cólon, próstata, mama, pulmão e pâncreas. Além disso, as sementes contém fitato que possui funções antioxidantes que tiram os efeitos dos radicais livres e evitam que células cancerígenas se desenvolvam.
3- Protege contra o envelhecimento da pele
Estes mesmo antioxidantes que previnem o câncer também desaceleram o envelhecimento da pele. Evitam os efeitos nocivos dos raios ultravioletas, que inclui rugas e pigmentação da pele.
Além disso, o zinco ajuda a produzir colágeno, dando mais elasticidade para a pele e ajudando a reparar os tecidos do corpo em geral. As sementes ainda são ricas em vitamina B, que mantém cabelo, pele e olhos saudáveis e bonitos.

4- Ajuda a digestão e emagrece
As sementes possuem muitas fibras, que são fundamentais para uma digestão saudável, evitando constipação, diarreia e mantendo o cólon saudável. Além disso, as fibras auxiliam na perda de peso, pois elas aumentam a sensação de saciedade. Isso acontece porque elas demoram para ser digeridas, então você fica satisfeito mais rapidamente e demora mais para sentir fome mesmo consumindo menos calorias.

5- Bom para quem faz exercícios e quer desenvolver a musculatura
Gergelim é extremamente rico em proteína (são 4,7 gramas de proteína a cada 28 gramas de sementes), além de ser uma boa alternativa para os vegetarianos, ela é ideal para quem faz atividade física e quer desenvolver a musculatura. As proteínas ajudam a aumentar força, a acelerar o crescimento celular, aumentam a energia e aceleram o metabolismo como um todo (o que também ajuda a emagrecer).
6- Remédio para diabéticos
O magnésio presente nas sementes também tem propriedades que reduzem a chance de desenvolver diabetes e ajudar a administrar os sintomas da doença. Uma pesquisa publicada em 2011 no Jornal de Nutrição Clinica mostrou que o óleo de gergelim aumenta o efeito do remédio glibenclamida em pacientes que sofrem com a diabetes tipo 2.
7- Ossos saudáveis
As sementes de gergelim são um pequeno coquetel para os ossos: elas são ricas em zinco, cálcio e fósforo. Uma porção de semente de gergelim tem mais cálcio que um copo inteiro de leite! Esses minerais são fundamentais para o corpo regenerar o tecido dos ossos e evitar osteoporose. Um estudo no Jornal Americano de Nutrição Clínica provou que consumir menos zinco que o necessário pode causar osteoporose no quadril e na espinha.
Apesar de osteoporose ser mais comum em mulheres pós menopausa, esta também é uma doença comum nos homens. Estudos mostram que um em cada oito homens acima de 50 anos terão uma fraturas por osteoporose.
8- Baixa o colesterol
Os fitoesteróis presentes no gergelim tem uma estrutura química muito similar a do colesterol e conseguem diminuir o nível de LDL (colesterol ruim) no sangue ao bloquear a sua produção. Sementes de gergelim tem o maior nível fitoesteróis da natureza (400-413 mg a cada 100g). A substância ainda potencializa o poder do sistema imunológico e diminui a chance de desenvolver câncer.
Além disso, o gergelim é rico em ácidos (como o oléico) que também diminui o LDL e aumentam o HDL (colesterol bom) no sangue. Portanto, baixar o colesterol é um dos benefícios do gergelim.
9- Alivia artrite
Gergelim é rico em cobre, que tem propriedades anti-inflamatórias, aliviando a dor nas juntas, ossos, músculos e diminuindo a dor causada pela artrite. O cobre ainda é conhecido por fortalecer os vasos sanguíneos e melhorar a circulação
10- Protege da radiação
As sementes de gergelim protegem o DNA dos efeitos nocivos da radiação – seja radiação de fontes acidentais ou de tratamentos como quimioterapia. Protegendo o corpo dos efeitos da radiação, o gergelim diminui a probabilidade de câncer por mutação celular.
Um estudo feito com ratos estendeu o tempo de vida dos animais que estavam sendo tratados com radiação ao incluir gergelim na dieta diária, prevenindo os danos causados pelo tratamento.
11- Saúde bucal
Os benefícios do gergelim são tão abrangentes que chegam até a saúde bucal. O óleo das sementes na boca tem um poderoso efeito antibacteriano, previne placa bacteriana e clareia os dentes. Mas para ter esses efeitos, é preciso deixar o óleo na boca até ele ficar grosso e esbranquiçado.
12- Alivia dores de cabeça e enxaqueca
Quem sofre com enxaquecas frequentemente pode usar gergelim para diminuir as dores. O magnésio presente no gergelim evita espasmos dos vasos sanguíneos que desencadeia crises de enxaqueca. Já o cálcio, previne enxaquecas e dores de cabeça em geral.
13- Melhora respiração e evita asma
Além de todos os benefícios do gergelim, o magnésio presente no gergelim também previne asma e outros problemas da respiração – tornando todo sistema respiratório mais saudável.
14- Diminui a ansiedade
Sim, a semente de gergelim ainda possui minerais que ajudam a aliviar a ansiedade e o estresse como o magnésio e o cálcio. As vitaminas tiamina e triptofano, também presentes no gergelim, ajudam a produzir serotonina – o famoso hormônio da felicidade.
15- Ajuda na prevenção da esclerose múltipla
O óleo de gergelim evita o desenvolvimento da esclerose multipla ao diminuir a secreção de IFN-GAMA, um fator chave para iniciar inflamações e lesões no sistema nervoso. Estudos mostram também que gergelim é benéfico contra a doença de Huntington
16- Alivia anemia
As sementes, principalmente as pretas, são ricas em ferro, o que é fundamental para quem sofre com anemia.



Atenção
Porém, como tudo, o consumo em excesso pode ser um problema. As sementes podem irritar o estomago e o cólon, além de aparecer em teste de drogas devido a uma pequena quantidade de THC.

O ideal é que a semente seja ingerida em sua forma integral, porém qualquer alimento que apresentar em sua composição o gergelim vai trazer benefícios ao nosso corpo. Hoje já podemos encontrar vários alimentos que o possui, mas também podemos inseri-lo em nossas receitas caseiras, levando um toque mais saboroso como ao arroz e saladas.

Fontes bibliográficas:

https://pt.wikipedia.org

http://www.tuasaude.com/

http://www.mundoboaforma.com.br/

http://www.anutricionista.com/