Algumas plantas medicinais curiosas - parte 2

Lembre-se sempre que seu médico pode lhe orientar melhor sobre o uso de remédio e o seu uso concomitante com outros medicamentos.
Boa saúde para todos!



Canela-de-perdiz



Nome científico: Croton antisyphiliticus.



Sinônimos: Erva-mular e curraleira.



Ocorrência: Brasil, planta típica do cerrado.


Ambiente: Gosta de solos ácidos e bem drenados e locais bem ensolarados.


Características: É uma erva de até 40 cm de altura, com caule avermelhado e folhas verde-claro ásperas ao contato, com as bordas serrilhadas. Flores branco-amarelo e pequenos frutos no ápice da planta.

Uso medicinal: É um excelente antibiótico. Muito usada no tratamento de úlcera gastroduodenal e gastrite. excelente para problemas circulatorios (varizes sob a formade compressas frias)


Partes usadas: A raiz, depois de seca.


Dosagem: 40 gramas de raiz por um litro de água, fervidos como chá, sem adição de açúcar ou adoçante. Tomar 4 ou 5 xícaras por dia.






Caninha-do-brejo



Nome científico: Costus spicatus

Sinônimos: Cana-do-brejo, cana-roxa, cana-de-macaco, jacuacanga, cana-fista e paco-caatinga.


Ambiente: Gosta de lugares quentes durante o dia e com uma significativa queda de temperatura à noite. Solos que variem entre úmido e encharcado, organicamente adubados.
Ocorrência: É uma planta nativa da Serra-do-mar , Porém, cultivada em boa parte do Brasil.


Características: É uma arbusto de até 2 metros de altura, com folhas largas de até 30 centímetros de comprimento e caule parecido com o da cana, porém mais fino. Suas flores são amarelas e envoltas em várias bainhas vermelhas.


Uso medicinal: É cientificamente sudorífica, diurética, trata com eficiência de inflamações dos rins e bexiga, cálculos renais, reumatismo, nefrite e uretrite.
Partes usadas: Caule e folhas.


Dosagem: Emprega-se 50 gramas das folhas ou caule por um litro de água, fervidos como chá. Toma-se 4 ou 5 xícaras por dia.




Bálsamo-branco

Nome científico: Sedum dendroideum.


Sinônimos: Bálsamo.
Ocorrência: África e Ásia, mas muito cultivado no Brasil.


Ambiente: Gosta de ambientes bem iluminados, solos bem adubados e com boa drenagem.


Características: É um arbusto pequeno com até 60 centímetros de altura, folhas semi-globulares, verde-claro, suculentas.


Uso medicinal: É emoliente, cicatrizante, ajuda no combate e prevenção de epilepsias, inflamações gastro-intestinais, inflamações na pele e dor de cabeça.
Partes usadas: As folhas frescas.


Dosagem: Bater 10 folhas com meio litro de leite no liquidificador. Tomar meia xícara de 2 em 2 horas.







Umbaúba







Nome científico: Cecropia peltata e Cecropia palmata.


Sinônimos: Imbaíba, ambaíba, imbaúba, árvore-da-preguiça, baibeira e torém.
Ocorrência: Em praticamente todo o Brasil.


Ambiente: Gosta de ambientes quentes, com estações definidas: uma seca e outra chuvosa. Aprecia solos semi-ácidos, bem drenados. Vive em matas ciliares e orlas de matas.


Características: É uma árvore de até 10 metros de altura, com tronco reto, pouco esgalhado e oco, lembrando um pouco o mamoeiro. Suas folhas são longipecioladas, duras, ásperas e verde-esbranquiçado na parte de baixo. Fruto pequeno roxo-escuro.

Uso medicinal: Usada com sucesso nos tratamento das afecções das vias respiratórias, bronquite, tosse, coqueluche e fortalecimento da musculatura cardíaca.


Partes usadas: Raízes e folhas.


Dosagem: 20 gramas de raiz ou folha por um litro de água, fervidos como chá. Adoce usando mel ou rapadura. Tome 4 ou 5 xícaras por dia.





Milho-de-grilo




Nome científico: Lantana aff. lilacina desf.


Ocorrência: Brasil, na região do cerrado.


Ambiente: Prefere ambientes bem iluminados e solos bem drenados mas com umidade natural, como campos baixos e várzeas.


Características: Arbusto com até um metro de altura, com folhas em número de três agrupadas ao redor de todo o caule. Folhas verde-fosco, um pouco lixentas e enervadas. Flores lilás ou rosa, pequenas. Frutos de cor lilás, pequenos e esféricos, em cachos que medem cerca de 6 cm de comprimento.


Uso medicinal: Usado para combater infecções do trato respiratório como tosses e bronquites.
Partes usadas: Folhas verdes, flores e frutos.


Dosagem: 80 gramas de folhas verdes, flores ou frutos, fervidos como chá para cada litro de água. Tomar 5 ou 6 xícaras por dia.



 Importante: NÃO USE AÇÚCAR CRISTAL OU ADOÇANTE. SE PREFERIR ADOÇAR O SEU CHÁ, USE RAPADURA OU AÇÚCAR MASCAVO.