Conheça a Espinheira-santa:

Espinheira-santa (Maytenus ilicifolia) 

www.harmoniaesaude.org
espinheira-santa

Família
Celastraceae
Componentes
Terpenos (maitenina); triterpenos; taninos; flavonóides; mucilagens; antocianinas; açúcares livres; traços de sais minerais.
Partes utilizadas
Folhas



Popularmente conhecida como espinheira-santa, espinheira-divina, maiteno, salvavidas, sombra-de-touro, erva-cancerosa, congorça, cancerosa, cancorosa, espinho-de-deus, e congorça.
É prescrita pela medicina popular no combate aos problemas de acidez estomacal, pois acalma as dores das úlceras e evita a fermentação e a formação de gases. É utilizada também em banhos como cicatrizante das inflamações da pele (acne, eczema,herpes).


A espinheira-santa é conhecida popularmente como “santo remédio”. Ainda que seja uma erva com alto poder cicatrizante da mucosa gástrica, é importante saber que ela precisa ser consumida em forma de chá para que atue positivamente no combate ao H. pylori. O chá de espinheira-santa contribui no tratamento da gastrite e, embora não cure, alivia bastante as dores abdominais superiores, conseguindo atacar também as úlceras estomacal e duodenal e refluxos gástricos, devido à diminuição da acidez estomacal que ocorrerá graças ao aumento da secreção gástrica proporcionado por esse chá. Nele serão encontrados taninos, alcaloides e minerais como cálcio, sódio e enxofre. Esse tonificante estomacal tem também ação anti-séptica graças a uma grande presença de taninos, substâncias que prontamente paralisam as fermentações gastrointestinais. A espinheira-santa é também diurética, já que conta com a presença de triterpenos.

Efeitos 


- Tonificante estomacal;
- Antiulcerôgenico (Tem potente efeito anti-úlcera gástrica devido à ação dos taninos). Tem poder cicatrizante de lesões ulcerosas do estômago devido à diminuição da acidez estomacal pelo aumento da secreção gástrica;
- Tem ação anti-séptica, devido à expressiva quantidade de taninos , atuando rapidamente na paralisação das fermentações gastrintestinais;
- Analgésica nas gastralgias (dor de estômago): Acalma rapidamente as dores estimulando e corrigindo a função desviada;
- Levemente laxativo, devido à presença de mucilagens;
- Levemente carminativa (auxilia na eliminação de gases);
- Levemente diurético, devido à presença de triterpenos;
- Alguns estudos iniciais demonstram que a Espinheira-Santa tem o poder de inibir alguns tipos de câncer (Fox,1991; Ohsaki et al.,2004);
- Demonstrou certa eficiência no combate a Helicobacter Pylori, bactéria que causa úlcera gástrica, podendo levar a câncer gástrico.(Cogo, et.al.2008).

Indicações 


Acidez do estômago, azia, gastrites causadas ou não pela bactéria Helicobacter Pylori, gastralgias (dores no estômago), úlcera gástrica, úlcera duodenal, sintomas de dispepsias (perturbações do trato gastrintestinal), enterites (inflamação do intestino), mau hálito (devido a problemas estomacais), fermentações gastrintestinais, flatulência (gases).

Efeitos secundários

Pode-se notar boca-seca e náusea que desaparecem com a descontinuidade do uso.

Contra-indicações


- Gestação e tratamento de infertilidade feminina: É contra-indicado em casos de gravidez ou tratamento da infertilidade feminina por ter um efeito abortivo descrito em pesquisas científicas (Montanari, T.; Bevilacqua, E.; Contraception 2002);
- Lactação: É contra-indicado o uso durante o período de amamentação pois a espinheira-santa leva a uma redução do leite materno (Santos C, et al. Plantas medicinais 1988);
- Pessoas sensíveis ao álcool: A tintura (por conter álcool) não deve ser administrada a pessoas que sejam etilistas (pessoas dependentes de álcool) ou sensíveis ao mesmo;
- Pacientes com câncer estrógeno-dependente;
- Hipersensibilidade a este fitoterápico.




Fontes bibliográficas
www.criasaude.com.br
www.wikipédia.org
revistavivasaude.uol.com.br