Tai Chi Chuan


MUITO INTERESSANTE O ARTIGO... VALE A PENA LER:


Tai Chi Chuan - Terapia Ou Educação Física ?

A questão título deste artigo igualmente poderia se aplicar ao Yôga e às Artes Marciais em geral. Pertinente observar que um mesmo instrumento pode ser compartilhado simultaneamente por várias profissões distintas.
O que irá definir se ocorreu ou não invasão de monopólios alheios são os objetivos, bem como o modo de aplicação de cada técnica. Comumente, são sutis as distinções entre o que é atribuição de uma profissão e o que é de outra.
Especificamente quanto ao Tai Chi Chuan, tudo depende de quais de suas inúmeras facetas serão realçadas. Como arte marcial, poderia ser enfocado como esporte, exercício e manutenção de bem-estar, passando o seu ensino a ser excluvidade do Educador Físico.

Se for considerado uma forma de reabilitação motora, aí sua prática teria que ser mediante receita médica (afinal, diagnosticar e tratar "doença", perante a legislação, é um monopólio médico...) e sua aplicação por um Fisioterapeuta, que é o profissional legalmente habilitado para reabilitação corpórea...

Outrossim, em sua origem, a proposta do Tai Chi Chuan é bem mais holística, integrando e indo além das facetas acima descritas e monopolizadas... É Arte além da marcial, mas de vida, proporcionando ao seu praticante a conscientização maior de si mesmo, a começar pelo corpo, integrando-o ao meio ambiente, seja pelo gestual, quanto pela troca com a respiração e, em seus estágios mais aprofundandos, atua como meditação em movimento.

Cada forma coreografada corresponde a um aprendizado arquetípico, paralelamente expresso no
 I Ching e atua igualmente desbloqueando os trajetos de energia (os chamados meridianos na acupuntura). Ao praticar a forma, o indivíduo predispõe-se ao acesso das informações inconscientes, sejam estas coletivas e relacionadas aos arquétipos universalmente associados ao movimento, sejam estas individuais, aflorando sob a forma de insights, lampejos de compreensão maior em relação a emoções, traumas, desejos, enfim, materiais psíquicos antes ocultos que passam a aflorar à nossa atenção e compreensão.

Durante a prática do Tai Chi Chuan, os movimentos suaves sincronizados à respiração, o indivíduo toma contato maior com o corpo, com o meio ambiente e com seus pensamentos, intuitivamente concluindo o quanto são uma só e mesma unidade.

Os pensamentos passam pela mente, sem que o praticante se apegue a nenhum deles; via de regra, são remomorizações do dia-a-dia, superficiais, que iniciam o processo, como que "limpando" o véu quer atua como capa, abrindo espaço para que materiais psíquicos cada vez mais profundos venham à tona.

Durante a execução é salutar exercitar o desapego até mesmo a estes conteúdos mais complexos que afloram, outrossim, trata-se de material riquíssimo a ser trabalhado em TERAPIA, seja ela em grupo, seja individual, tal qual é feito na Terapia Corporal Reichiana, na Bioenergética, dentre outras técnicas mais de livre associação e vivências da Psicoterapia Holística.

Devido à minha experiência neste setor, foi me outorgado o registro no CREF - Conselho Regional de Educação Física; outrossim, ainda que considere extremamente válida e eficiente a abordagem como esporte e exercício, por convicção pessoal, me sinto mais à vontade em abordar o Tai Chi Chuan como mais um excelente recurso da Terapia Holística, agente promotor de bem-estar, qualidade de vida e
AUTOCONHECIMENTO
.


Henrique Vieira Filho - Terapeuta Holístico - CRT 21001, é autor de diversos livros da profissão, ministra aulas na CEATH - Comunidade de Estudos Avançados em Terapia Holística.  contato@sinte.com.br  (11) 3171-1913